Sifú, o mestre…

Significado do termo Sifu: “ Aquele que ensina como um Pai”

Titulos:

  • Instrutor: Significado de instrutor: adj.Que (m) instrui,ensina ou adestra.
  • Professor: Significado de “professor” sm (lat professor) 1 Homem que professa ou ensina uma ciência, uma arte ou uma língua;
  • Mestre: Significado de Mestre:  O que é perito ou versado em qualquer ciência ou arte.
  • Grão Mestre: Significado de  Grão-mestre: Lider máximo de uma organização, de cunho disciplinar independente.

Este artigo não tem por objetivo ser muito extenso ou exaustivo, mas um  pequeno esboço da arte de se tornar um Sifu.

A principio, devemos observar que um Sifu é aquele que percorreu um longo caminho, que aprendeu na convivência diária com seu Mestre (Sifu) como é a arte a qual esta a se desenvolver, e após a avaliação de seu superior, atingiu níveis de conhecimento e sabedoria para receber esta condição (condição de Sifu). Embora muitos se auto proclamam ser “Sifu”, esta é uma condição que para ser autentica, deve ser concedida por outro Sifu, ou seja, ninguém pode dar o que não tem. A habilidade na arte marcial é apenas um dos requisitos para esta certificação e outorga, bem como a conclusão de etapas indispensáveis para o recebimento desta condição . Sifu não é um titulo, é uma condição. Títulos são: Instrutor, Professor , Mestre e Grão Mestre. O simples fato de ser representante de uma “bandeira” de escola não o torna Sifu, pode ser sim um professor um Instrutor, um representante, mas ser Sifu vai alem disso. Ser Sifu antes de mais nada é ser fiel como aluno, ser fiel como discípulo, é capacitar se para tanto, passar por momentos contrastantes e ainda estar na caminhada. Ser Sifu é estar apto a conduzir sua família sem precisar de mais ninguém, ou seja, ter todo o suporte técnico, emocional e espiritual para conduzir uma família marcial. Não basta ter uma representação, o que diga se de passagem, é mais fácil do que pegar um taxi nas ruas de um grande centro, mas ter realmente a essência marcial, ter conteúdo para esta função é outra coisa. Entretanto, somente um Sifu autentico, moldado nesses princípios e ideais tradicionais da arte marcial, poderá outorgar esta condição a um aspirante. Neste diapasão, o praticante deve ter muito cuidado ao escolher um Sifu, pois é uma escolha que deve nortear uma vida inteira. Um dois casos que deve causar desconfiança na escolha de um então denominado Sifu, é conhecer suas origens, saber quais escolas este pertenceu e porque houve trocas de Mestre, de estilo enfim….quem realmente outorgou a condição de Sifu para aquele que assim se apresenta. Nomes de escola, placas de representação em nada tem a ver com a família marcial em si constituída. Um Sifu, deve estar acima destas logomarcas. Antes de escolher aquele que então você o chamará de Sifu, busque saber mais sobre ele, e suas raízes marciais, porque cursinho de formação de professores e Mestres é o que mais se tem  para oferecer. Um Sifu não se auto denomina Sifu, é uma condição outorgada por um autentico Sifu, somente assim, este poderá outorgar para seus estudantes esta condição. Tempo de pratica não pode ser convertido em condição a tornar se um Sifu, ou seja, não é porque pratica há mais de 10 anos, 20 anos ou seja la o tempo que for,  que isto o colocara na condição de ser Sifu. Por fim, pior que um auto denominado Sifu é um aluno que pronuncia este termo sem se quer saber o que ele significa e assim o faz para vários, trocando de tempo em tempo, pois é por causa destes desavisados que estes pseudos “Sifus” continuam logrando êxito ainda que momentaneamente. Cuidado! Conheça a historia do líder da escola a qual esta em busca de estudar, pois em tempos de falsificação, a arte marcial não fica fora desta demanda. Tão importante quanto saber a diferença na arte marcial de seus respectivos titulo e condição, é saber a diferença de um aluno e um discípulo. Basicamente deve se lembrar que discípulo é todo aquele que foi submetido a cerimônia marcial chinesa denominada Pai Si, todos os demais podem ser considerados alunos, mas não discípulos. E repito as palavras de um sábio Mestre: são pelos frutos que se conhece a arvore. Por fim, conheço pessoas que se auto proclamam ser Sifu, mas que tenho a certeza pelos atos e caminho pessoal, que nunca passarão de meros instrutores, ainda que treinem com os respectivos fundadores do estilo praticado. Kung Fu não se fala, se aplica.